O Pop Precisa de Mais Artistas como Jessika Von Rabbit!

 Ahead of Joshua Tree Music Festival, Jesika von Rabbit talks new music

Li uma definição sobre as músicas da Jessika Von Rabbit que faz total sentido: ''ela é uma festa dançante no apocalipse''. Em outras palavras: '' Ela é uma bruxa que te atrai para uma casa de doces''. Eu não poderia concordar mais. 

Filha de um cantor que gravava jingles comerciais e cantava em bares de hotel, e de uma mãe que se vestia com bastante glamour, Jessika teve influência no estilo de vida dos pais desde a infância no Green Bay, Wisconsin. Aos 14 anos ela foi na tour do Metallica ''And Justice for All'' e ficou arrepiada com a energia do show, isso marcou sua vida para sempre. 

Jessika deixou o meio-oeste e veio para Los Angeles, e já ajudou Blondie e Gwen Stefani escolher seus figurinos para seus vídeos, nessa época ela queria ser estilista. Porém, ela se mudou para o deserto nos anos 2000, com dificuldade de encontrar amigos e formar uma banda, Jessika considera essa fase da sua vida bem ''perdida''.

Antes de lançar sua carreira solo, Von Rabbit fundou a banda Gram Rabbit com Todd Rutherford, uma mistura de pop com psicodélico, ''Music to Star a Cult To''. A banda começou a fazer sucesso e teve três álbuns lançados, além de ir em festivais como o Coachella em 2005, eles também licenciaram suas músicas para comerciais, programas de TV e filmes, incluindo Sons of Anarchy.

Em 2013 ela decidiu seguir sozinha e lança em 2015 seu primeiro trabalho solo intitulado Journey Mitchell. Enquanto ela não encontrava pessoas alinhadas com o som que ela queria pra entrar na banda, ela contratou dançarinos para o show, apenas acompanhada de um teclado ela seguiu em frente. Segundo a Jessilka foi assustador, mas foi muito bom para ela, seu segundo álbum Desert Rock ficou mais completo com a guitarra do de Ethan Allen e Lee Joseph no baixo lançado em 2018.

Já que tocamos no assunto do álbum mais recente, como o próprio nome remete, o Stoner (rock do deserto) como é conhecido por bandas como Kyuss, Queen of the Stone Age, Fuu Manchu entre outros,  tem uma aura pesada, agressiva, o que ela quis era mostrar a visão mais feminina dentro disso. Por isso a sonoridade tem um certo ar doce, colorido, ''frutado''. Bem mais artístico. 

Fica aqui minha recomendação para você conhecer essa artista maravilhosa, principalmente seu álbum  Dessert Rock que é sensacional. Muito bem produzido, é um pop meio psicodélico, é dançante, tem um atmosfera macabra, a mistura eletrônica dá uma cara palatável para um estilo musical que basicamente tinha a ''cara fechada'' como é o Stoner.  Não é atoa que cada vez ela vem ganhando mais espaço e notoriedade, inclusive do artista Boy George com o cover de sua música ''Do You Really Want to Hurt Me?'', que demonstrou em seu twitter sua satisfação com a versão que ela fez. 

Ouça!


Comentários