Melhores álbuns que descobri em 2019

Foto da banda Twin Temple













Artistas novos, outros mais velhos; nesse post reuni os melhores álbuns que descobri em 2019 de vários estilos. Futuramente, pode sair uma parte dois conforme for lembrando os que valem serem mencionados.

Espero que aguce a curiosidade caso não conheça, esse é o intuito!





Scissor Sisters (2004)


Related imageScissor Sisters me chamou a atenção pelo pop rock de qualidade superior à muitas bandas novas nos anos 2000 que tomaram o estrelato. Com influencia nítida no pop do Elton John, a banda tem todo um ar anos 70, no entanto, ela soa atual principalmente nas músicas mais eletrônicas. Um exemplo disso é o cover da música do Pink Floyd ''Comfortably Numb'', a banda não tem medo de dar sua cara para um grande clássico, com direito à uma balada dançante, sintetizadores, e uma interpretação de fazer jus ao Bee Gees, isso mesmo. São estilos que jamais alguém imaginou que combinariam, ainda mais numa música do Pink Floyd. Scissor Sisters tem uma pitada da loucura do Prince, e isso é um baita diferencial também. 

Esse álbum de 2004 é bem divertido, dançante, mas também tem espaço para baladas lindas como ''Mary'' - música pela qual me fez conhecer a banda.  É um baita de um discaço, cada música fez meu coração bater mais forte, com suas batidas fortes e melodias doces. Me tornei fã de carteirinha automaticamente. 



Magma - Merci (1987)


Essa eu conheci não faz muito tempo, mas não conseguia parar de ouvir. Magma é uma banda francesa fundada em 1969, caracterizado como rock progressivo, arte rock. Mas pra mim ta mais pra um jazz com sintetizadores, levando como base nesse disco. No começo a banda teve o pontapé inicial para criar a estética da banda, levando na imaginação um grupo de pessoas que fogem de uma terra condenada para morar num planeta chamado Kobaïa. Isso explica porque a linguagem cantada é inventada, ou seja, não possui um idioma específico. Eles não quiseram se prender em significados, e focaram mais no som da fonética das palavras, e isso é maravilhoso.

Related image
Magma bebe da fonte de John Coltrane, ''Merci'' é uma viagem sonora que facilmente imaginaríamos Coltrane como piloto. O resultado não poderia ser mais maravilhoso. Ouça pelo menos a primeiro ''Call from the Dark'' e se sinta contagiado pelo som criativo dessas pessoas que parece que vieram de outro planeta. A última que fecha ''The Night We Died'' é emocionante. É daquelas músicas que fazem a gente se sentir vivo.


Jd Mcpherson - Undivided heart and soul (2017)


Se você que está lendo isso gosta de Chuck Berry, soul dos anos 60 e toda a festividade dos anos 50, vai adorar conhecer Jd Mcpherson! Assim como fez o Stray Cats nos anos 80, desde 2015 Mcpherson nada contra a maré e traz aquele estilo dos primórdios do rock que poucos levam à serio para construir suas identidades sonoras nos dias atuais.  

Image result for jd mcpherson undivided heart and soulO segundo disco em questão, é maravilhoso do começo ao fim, cada música tem ótimas referencias, desde ao glam rock até o surf music, Mcpherson é talentosíssimo não importa em qual abordagem. 

Impossível não ouvir o hit ''CRYING'S JUST A THING YOU DO'',  e não procurar o álbum todo pra ouvir e colocar no replay várias vezes. 


Twin Temple (Bring you their signature sound ... satanic doo-wop) 2018


Já que estou citando artistas novos que tem ótimas referencias do passado, eu não poderia esquecer de  Twin Temple. Essa banda de duas pessoas, é uma mistura louca de Amy Winehouse com satanismo.  Mas antes que alguém pense, não, eles não bebem sangue de virgens e também não matam bebês em sacrifícios, a ideia é falar de liberdade sem opressão, quebrar com paradigmas estabelecidos, usando como base a adoração ao lado satânico que cada pessoa possui.

Image result for twin temple bandTwin Temple é uma combinação com a estética de coisas ocultas com o rock/soul clássico dos anos 50 e 60. A voz e o estilo lembram Winehouse, mas esse ar obscuro nas letras dá um tom diferenciado.

Cada música possui uma ''sensualidade'' que é difícil não se sentir atraído. Recomendo bastante, principalmente pra quem tem a mente aberta!




Vox Dei - La Biblia (1971)



Outro álbum que me levou a outra dimensão, foi a banda argentina Vox Dei, com seu álbum conceitual ''La Biblia''. Fiquei me perguntando, como eu não conheci isso antes?? Esse disco foi disparado uma das melhores coisas que escutei essa ano, alias, um dos melhores álbuns de rock argentino que ouvi. 

Image result for vox dei la bibliaAs letras são sofisticadas, uma releitura de algumas passagens da bíblia que cria automaticamente todo o cenário da humanidade na cabeça. Os riffs são maravilhosos, como um show aparte. As melodias outrora doces como em ''Moises'', e misteriosas como em ''Genesis'', criam um álbum clássico de imediato.

Existem algumas canções com mais de 10 minutos de duração que te inserem no contexto de imediato para vários ambientes, assim como de guerra como também do nascimento de Cristo. Esse álbum, foi um lavar de alma. Cada minuto me tocou com uma ternura que dificilmente esquecerei, uma verdadeira pérola. 




Linda Perhacs - I'm a Harmony (2017)
Image result for linda perhacs i'm a harmony
Essa artista surgiu do folk underground dos anos setenta, mas infelizmente, nunca alcançou o sucesso almejado. Por conta disso, ela voltou pra sua profissão antiga e continuou em atividade até então recentemente, em 2014, quando voltou para os estúdios para gravar mais um álbum, apesar de desde os fins dos anos noventa as pessoas passaram a descobri-lá pela internet.  Em 2017 ela lançou mais um, e esse disco mostrou o quão longe Linda Perhacs consegue chegar em profundidade no que diz respeito à poesia com algumas gotas de psicodelia, que é o seu ponto forte.

Esse disco é estranho pelas melodias; altamente melancólico, frio, introspectivo, diferente de tudo o que ela havia lançado antes. Se no disco da Bjork ''Vespertine'' há um clima semelhante porém mais doce, aqui existem semelhanças, porém tem um clima mais sombrio. A voz suave, às vezes quase sussurrada como na faixa de abertura ''Winds of the Sky'', nos leva para outro dimensão. Como ela mesma diz na outra canção, ''Take your love to a higher level''. É de chorar de tão lindo.

Vale muito a pena ouvir, com o coração e alma presentes, pois é um disco que exige muita atenção. As músicas são calmas, feitas para serem sentidas com a mente desligada de tudo, caso contrário, você pode ter uma experiencia sonífera.

Procure o álbum todo, vale a pena!




Comentários