Você tem que ouvir ''Lumerians''


Se você gosta de Krafwerk, Can, Sonic Youth, psicodelismo experimental, rock com música eletrônica, certamente vai gostar da recomendação de hoje. A banda que trago é um quarteto da Califórnia, nascida em 2006, chamada ''Lumerians''. O som da banda é bem hipnótico, bem anos 60/70, tem bastante de Space Rock, e a melodia me faz lembrar de The Doors, só que mais suave, e sem a pegada blues.

É uma banda típica pra quem gosta de meditação transcendental, pra quem está familiarizado com viagens instrumentais e coisa do tipo (apesar de não ser só instrumental), a discografia não é assim tão vasta, já que se trata de uma banda relativamente nova, mas já tem bastante material pra se delirar em universos imaginários, desconhecidos.

Se você é um ouvinte que tem pressa e não sabe se vale a pena dar uma chance pra essa banda, ouça o EP de 2012 ''Horizon Structures'', que só possui 13 minutos ao total. Depois de anestesiado (e já se sentir um personagem do Star Trek), qualquer disco que escolher a seguir será bem sucedido, não importa se é o disco de 2011; Transmalinnia, ou o de 2013; The High Frontier, ou o mais recente de 2018; Call of the Void, que é o álbum pela qual, irei me ater nesse post (Lumerians tem mais alguns que não citei, além de EPs, mas como não achei pra ouvir, fica aqui o registro que só ouvi esses).

Lumerians é uma banda interessante porque eles sempre prezam em manter a atmosfera de suas músicas quando fazem shows, apesar de não ser decorrente - o que torna suas aparições, em algo especial. Como poderão imaginar pela imagem abaixo.

Image result for lumerians band

Falando agora do álbum mais recente de 2018 ''Call of the Void'', que traduzindo para o português seria ''chamado do vazio'', a faixa que abre é a ''Fuck All Y'All'', que é uma faixa instrumental longa, de sete minutos, bastante atmosférica, bem Space Rock. Em seguida a ''Silver Trash'', é mais pós-punk, tem um baixo mais forte, enquanto a guitarra cria uma sensação de ficção científica no ar. Já a ''Space Curse'', é a cara da banda alemã Kraftwerk. Depois a ''Signal'', me lembra mais a banda Tangerine Dream, é uma atmosfera que chega a dar um pouco de medo. 

A outra metade do disco, começa também com uma canção mais longa, de sete minutos, chamada ''Fictional'', a diferença que essa é cantada, ao invés de ser só instrumental, porém, é igualmente linda, tem um groove maravilhoso. A ''Masters Call'' volta o ar mais eletrônico, tem bastante a vibe de uma especie de ''hippie futurista'', além de ser meio gótica. Considero a minha preferida do álbum. A penúltima canção ''Ghost Notes'', também se encaixa na descrição da anterior, a diferença que tem uma linha vocal mais grave. A sensação que se tem é de estar num lugar desértico, consigo sentir um pouco de Stoner Rock, só que sem o peso que flertaria com o Heavy e Doom Metal. Por fim, a última ''Clock Spell'', tem uma melodia maravilhosa, com um contraste lindo do teclado, que aumenta a sensação de medo, é quase como estar num castelo mal-assombrado.

Recomendo Lumerians pra todo mundo com bom gosto, e que principalmente, goste de ser transportado para universos desconhecidos.


Comentários