Três grandes pérolas dos anos 60


Como fazer com que sua postagem de estreia seja algo marcante? Definitivamente não faço a mínima ideia, e nem quero. Neste primeiro post assinado por mim neste blog, estava pensando em escrever algo especial, mas dai pensei bem, e, já que o assunto é musica, nada melhor do que escrever sobre o que ando ouvindo de bom no momento, simples. Sem frescura e enrolação, vamos lá; três belos álbuns para conhecer dos anos 60!

Para começar, The Papas & The Mamas de 1968, da banda de mesmo nome (só que ao contrario). Confesso que quando ouvi o álbum pela primeira vez a alguns anos atrás, tinha achado o seu ar sessentista legal mas mais do mesmo, Ledo engano, eu é que não estava na vibe, o disco é fabuloso de cabo a rabo! The Mamas & The Papas é uma das grandes jóias do rock americano feito lá no final dos anos 60, e mesmo tendo uma carreira tão curta devido a problemas internos, é inegável sua contribuição á música jovem daquela época. Neste álbum de 68, (um de seus últimos) você ouvirá vocais sublimes, guitarras e melodias que de tão belas, chegam se assemelhar a sonhos, enfim, tem um pouco de tudo o que a banda sabia fazer de melhor, e prova que o quarteto foi bem mais que seu hit California Dreamin. Ah, e antes que me esqueça, Cass Elliot brilha neste disco com sua versão magnífica da canção "Dream A Little Dream Of Me". Imperdível.


Seguindo com Pisces, Aquarius, Capricorn & Jones Ltd de 1967, da banda The Monkees. É sabido que os Monkess foi uma banda criada especialmente com o intuito de bater de frente com o sucesso esmagador que os Beatles vinham fazendo na metade dos anos 60, a banda, não conseguiu atingir a mesma fama do quarteto de Liverpool, claro, visto com os olhos de hoje, mas  na época a banda atingiu sim um estrondoso sucesso, chegando a estrelar até mesmo uma série própria na TV. Em 1967 os Beatles lançaram "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band", seu trabalho mais ambicioso até então, e os Monkees claro, não deixaram barato, e caíram de cabeça na psicodelia (ou próximo disto). Pisces, Aquarius, Capricorn & Jones Ltd é um delicioso album de pop rock, cheio de efeitos sonoros criados em estúdio que dão ao album uma aura viajante e porque não, nostálgica. Além disso, é engraçado notar que os Monkees nunca foram levados muito a sério, justamente por seu público alvo serem os jovens, principalmente as garotas, que iam ao delírio com os quatro rapazotes. Bobagem, a banda poderia não possuir grandes músicos, nem terem inventado a roda, mas por outro lado, criaram algumas das canções mais contagiantes do pop mundial.



Pra fechar, um tupiniquim. Ronnie von de 1968, sim, o álbum é dele mesmo, e se você desconfia da qualidade musical de Ronnie, pode ter certeza que não é o único. Antes de ouvir o álbum eu pensei: "que diabos é isso do Ronnie cantando rock psicodélico", essa minha surpresa, e porque não, falta de informação é até normal, essa sua fase "lsd" foi obscurecida, visto que na época de lançamento o álbum foi um fracasso total, e só de uns tempos para cá ele ganhou um status de "cut" entre os fãs do gênero. O fracasso da época é até entendido, já que Ronnie vinha de uma carreira como cantor popular, e do dia pra noite passou a ser uma especie de Jim Morrison brazuca. Ouvindo agora, o álbum é sensacional, principalmente no quesito instrumental e nas letras espirituosas. Confesso que não acho Ronnie Von um grande cantor, mas aqui sua voz casa perfeito com o som, dando uma aura ainda mais chapada a coisa toda. Aqui o que predomina é uma vigorosa orquestração, com direito a violinos distorcidos, sons de espelhos se quebrando, buzinas, telefones sendo discados etc... Uma curiosidade é que o álbum foi produzido por Arnaldo Saccomani, (sim, ele já produziu música inteligente) e a maioria das músicas também são de sua autoria. Hoje, Arnaldo teve que se adequar ao mercado musical para sobreviver, produzindo coisas que eu não ouso dar nome. Ronnie se encaretou, virou um popular apresentador de TV, e o que resta daquela época mesmo é apenas a musica, encapsulado para sempre numa garrafa mágica, conhecida antigamente como disco. 


                                     

É isso, nos vemos na próxima com novas especiarias, mantenham os ouvidos atentos!




Comentários